O plano de marketing é uma ferramenta essencial para a gestão de qualquer empresa que pretende alcançar sucesso e se manter competitiva no mercado. É por meio de um planejamento detalhado das estratégias de marketing que serão empregadas no negócio que é possível direcionar esforços para o alcance de objetivos específicos.

Com os consultórios odontológicos não poderia ser diferente. Muito mais do que se preocupar somente com a qualidade do atendimento e dos procedimentos realizados, é essencial um esforço direcionado para conquistar mais pacientes, fidelizar os existentes e aumentar a satisfação geral com o serviço prestado.

Se você quer saber mais sobre como montar um plano de marketing, quais as etapas e aspectos que deve levar em consideração, continue a leitura!

A importância de um plano de marketing

Uma coisa é certa: sem o devido planejamento é muito difícil alcançar bons resultados de maneira consistente e sustentável. Confiar na sorte e esperar que os bons ventos tragam mais pacientes para seu consultório é uma maneira de colocar em risco a manutenção do seu negócio.

Com um mercado cada vez mais competitivo, é essencial que os dentistas passem a se preocupar em buscar maneiras estratégicas de manter e escalar seus empreendimentos a partir de ferramentas de gestão.

O plano de marketing é um desses artifícios essenciais para o sucesso de qualquer empresa. Trata-se de um planejamento documentado de quais ações de marketing serão empregadas para atingir objetivos específicos.

Esses objetivos podem ir desde aumentar o conhecimento sobre sua marca, atrair mais pacientes, fidelizar quem já se consultou, aumentar os lucros e por aí vai.

Com um plano esquematizado de quais serão as estratégias empregadas, é possível direcionar o custo de cada uma, avaliar seu sucesso e fazer ajustes para aumentar os seus resultados — e, assim, entrar em um processo de melhoria contínua do seu consultório.

Principais etapas de um plano de marketing

Para montar um bom plano de marketing, algumas etapas precisam ser seguidas. É muito importante levar em consideração esses passos para que as estratégias não fiquem somente no campo das ideias.

Ao dedicar um tempo para esquematizar as estratégias e documentá-las de uma forma organizada, você estará criando um roteiro para colocá-las em prática, definindo os responsáveis por cada opção e o prazo de realização. Isso aumenta muito as chances desse plano ser bem-sucedido.

As principais etapas são:

1. Análise dos ambientes internos e externos do consultório

Antes de mais nada, é preciso ter uma compreensão exata de quais são as forças e fraquezas do seu consultório, tanto nos ambientes internos e externos. Isso ajudará você a identificar oportunidades e pontos de melhoria que irão embasar suas ações de marketing.

Se você já tiver feito um planejamento estratégico para consultório, provavelmente já terá registrado esses dados. Caso contrário, a hora é agora!

A partir de um brainstorming — preferencialmente com sua equipe de colaboradores — levante o máximo de informações possíveis sobre o seu negócio e o mercado em que ele está inserido. Leve em consideração tanto os cenários micro, como fornecedores e equipe interna, até cenários macro, como legislação e estado da economia.

Para ajudar nisso, você pode usar a ferramenta S.W.O.T. que levanta:

  • strenghts (forças) — vantagens competitivas internas que possui, como o oferecimento de tratamentos diferenciados e equipamentos modernos;
  • weaknesses (fraquezas) — pontos de melhoria internos do seu consultório, como falta de capacitação dos funcionários ou localização do estabelecimento;
  • opportunities (oportunidades) — cenários externos que favorecem seu negócio, como mudanças de legislação e desenvolvimento de novas tecnologias;
  • threats (ameaças) — fatores externos que podem desfavorecer o seu empreendimento, como crises econômicas, aumento de impostos e concorrentes.

2. Definição dos objetivos

Com um panorama da situação do seu consultório e como ele se insere no mercado, é hora de definir quais são os objetivos pretendidos com esse plano de marketing. Para isso, leve em consideração as forças e oportunidades que identificou e maneiras de minimizar suas fraquezas e se preparar para possíveis ameaças.

Também é importante considerar a concorrência. O que eles têm feito certo que você possa aprimorar e aplicar na sua estratégia? Quais são os pontos de melhoria deles e que você pode suprir?

Nessa fase, é muito importante pensar em objetivos que sejam desafiadores e, ao mesmo tempo, realistas. Não adianta definir metas inalcançáveis que só servirão para desperdiçar tempo, recursos e sacrificar o ânimo da equipe ao não alcançar os resultados esperados.

O ideal é que elas sejam do tipo S.M.A.R.T., ou seja:

  • eSpecíficas, que digam diretamente o que pretendem alcançar;
  • Mensuráveis, que sejam capazes de ser quantificadas e ter seu resultado medido;
  • Alcançáveis — desafiadoras, porém possíveis de serem alcançadas;
  • Relevantes, que realmente importem para seu consultório e objetivos;
  • Temporizáveis, que tenham prazo para iniciar e terminar.

3. Planejamento das estratégias

Definidos os objetivos, é preciso saber como eles serão alcançados. Para isso, você pode contar com estratégias de marketing viral, de criação de conteúdo, promoções e com a política de valorização de indicações de pacientes, por exemplo.

Nessa etapa, é muito importante levar em consideração o que é preciso para realizar cada ação, seja em capital financeiro, físico ou intelectual. Não adianta planejar lançar um vídeo informativo por semana se não houver ninguém para fazê-lo.

Levar em consideração os custos de ação ajudará a fazer um planejamento financeiro do seu plano e levantar necessidades de treinamento da sua equipe ou até a terceirização do serviço. Além disso, é essencial pensar em quem é o seu público-alvo para que as estratégias pensadas façam sentido para essas pessoas.

Para isso, você pode usar o conceito de personas, que são perfis semificcionais do seu paciente ideal. Leve em consideração dados demográficos, escolaridade e profissão, estado civil, desejos e problemas que querem solucionar dos pacientes que já têm e daqueles que pretende atrair.

Assim, é mais fácil saber quais ações empreender, qual linguagem falar e quais meios de comunicação utilizar para atingi-los da melhor forma.

4. Criação de um cronograma

Com as estratégias bem definidas, é hora de criar um cronograma de execução de cada uma dessas ações. Essa é uma forma de tornar visível os objetivos, os responsáveis pela execução e o prazo definido.

É importante que esse cronograma traga as informações de maneira clara e seja acompanhado e atualizado durante toda a execução do plano.

5. Acompanhamento e revisão

Com o seu plano pronto, é hora de colocá-lo em execução a partir do cronograma criado. Ao longo desse período, é essencial que você faça um acompanhamento da execução das ações e dos seus resultados.

Dessa forma, será possível verificar o que vem dando certo e o que precisa ser melhorado. É importante que essa ferramenta seja utilizada de maneira dinâmica e que também acompanhe as mudanças dos cenários internos e externos. Assim, você pode aumentar o esforço no que funcionou e diminuir ou suspender no que não gerou bons resultados, garantindo o sucesso do seu planejamento.

Gostou de saber mais como montar seu plano de marketing? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário com a sua opinião e sua experiência sobre o assunto!