Abrir uma franquia odontológica pode ser uma boa alternativa para quem deseja empreender com segurança e escalabilidade. Isso porque, com esse modelo de negócio, o empreendedor tem todo o suporte necessário para administrar sua empresa a fazê-la crescer.

Claro que ter pouca experiência não é um pré-requisito para se tornar um franqueado, pois para trabalhar com esse modelo de negócio, você precisa ter o perfil adequado. E mesmo empreendedores mais experientes podem optar pelo franchising, desde que se identifiquem com a atividade.

Uma das maiores vantagens de se tornar um franqueado é que você tem acesso a todo o know-how de uma empresa já consolidada, testada e aprovada no mercado. Então, você começa um negócio baseado em um modelo já pré-formatado, o que traz diversas vantagens — e desvantagens também — como qualquer outro tipo de negócio.

Se você está pensando em empreender e ter sua própria clínica e pensa no franchising como uma opção, o post de hoje é para você. Nele, vamos explicar o conceito de franquia, o que é necessário para se tornar um franqueado, as vantagens desse modelo de negócio, entre outros pontos importantes. Confira!

O que é franquia odontológica e seu modelo de negócio

Uma franquia odontológica é como outro negócio baseado nesse segmento. Então, ela consiste em uma rede de clínicas que seguem um mesmo modelo de gestão, o qual todos os processos são padronizados. Explicando em miúdos: a franqueadora — que é a detentora da marca — cede seus direitos de uso para outros empreendedores em troca de parte dos lucros deles.

Sendo assim, o dentista franqueado recebe o direito de usar o nome da franqueadora e já começa seu negócio com uma marca forte no mercado. Durante o contrato, o empreendedor terá todo o suporte da franqueadora em relação a planos de negócios, planos de marketing, projeções financeiras futuras, etc.

No entanto, o franqueado precisa trabalhar dentro dos padrões estabelecidos pela franqueadora. Os procedimentos oferecidos, materiais comprados, atendimento e equipamentos de todas as unidades franqueadas seguem um padrão já estabelecido pela marca credora de seus direitos de uso de imagem.

O que é necessário para abrir uma franquia odontológica

Você quer abrir uma franquia odontológica, mas você sabe o que é necessário para começar sua empreitada? Bom, ao contrário do que você pensa, ter dinheiro não é o suficiente. É preciso outras características que serão citadas logo adiante. Confira!

Perfil empreendedor

Engana-se quem pensa que ser um franqueado é ter que trabalhar menos. Muito pelo contrário, pois se você abrir sua própria franquia, terá que se dedicar totalmente ao negócio. Caso você não queira ser o gestor, vai precisar contratar profissionais competentes para administrar sua empresa.

E mesmo que você entregue à administração a um terceiro, você precisa acompanhar os processos de perto se quiser que o negócio cresça.

Investimento para abertura da franquia e capital de giro

Abrir uma franquia odontológica implica um investimento alto. Além do mais, para se integrar à rede é preciso pagar uma taxa de franquia, além de royalties mensais (pelo direito de uso da marca e publicidade). A porcentagem das taxas mensais varia de acordo com a marca.

Ainda é necessário um local para a abertura da clínica — que é escolhido pela própria franqueadora —, além de investimento com possíveis reformas, contratação de funcionários, padronização do espaço com as cores da marca, compra de equipamentos, materiais, entre outros custos.

E como qualquer outro tipo de empresa, sua clínica vai demorar um tempo para dar lucros e, por isso, será necessário um capital de giro para franquia odontológica. Esse capital é importante para que que a clínica consiga arcar com as despesas como: contas de água, luz, funcionários, aluguel, divulgação, compra de materiais, etc.

Cadastro na empresa escolhida

Antes de se tornar um franqueado, você precisa fazer um cadastro junto à marca escolhida, que pode ser feito pela internet mesmo. Depois que a empresa receber suas informações, ela vai analisar seu perfil para verificar se você tem mesmo o perfil para o negócio que deseja investir.

Entrevistas e testes

Após a etapa anterior, é hora de conhecer a empresa de perto e passar por entrevistas pessoalmente. A franqueadora vai conversar com você para identificar seu perfil e ter certeza que você se identifica com a marca e com o modelo de franchising.

Ter dinheiro para o investimento e ter um perfil de dentista empreendedor não são o suficiente para ser aprovado pela marca. Isso porque uma franqueadora tem seus próprios métodos de avaliação e, caso o candidato não atenda aos pré-requisitos, ele não será aprovado.

Algumas marcas já disponibilizam no site os pré-requisitos para se tornar um franqueado. Então, é sempre bom dar uma olhada antes de se candidatar para ser associado de alguma marca.

Estudo de viabilidade do negócio na região

Mesmo que você tenha todos pré-requisitos exigidos pela franqueadora e tenha o perfil para ser franqueado, ainda há outra etapa: o estudo de viabilidade do negócio. Antes de abrir uma nova unidade, a franqueadora faz um estudo de mercado para verificar se há possibilidade de o negócio dar frutos naquela região.

A marca não arrisca ceder o direito do uso de sua marca em uma região a qual ela considera que não há potencial de crescimento, pois a empresa não quer sofrer prejuízos e sim, expandir.

Assinatura do contrato

Caso o candidato seja aprovado em todas as entrevistas, testes e seja constatada a viabilidade do negócio, é hora de assinar o contrato de aquisição da franquia. No documento, constam todas as obrigações de ambas as partes durante o período contratado.

Vale lembrar que para ter uma análise minuciosa de todas as partes do contrato, é imprescindível uma assessoria jurídica. Isso pode poupar-lhe de muitas dores de cabeça no futuro.

Escolha do ponto comercial

Mesmo que você já tenha uma clínica funcionando, talvez haja a necessidade da escolha de outro local para a abertura da franquia. É a franqueadora quem escolhe o ponto onde a nova rede vai funcionar.

Para tanto é realizado um estudo de mercado que avalia diversos fatores, entre eles: tamanho e estrutura do imóvel, localização, proximidade com o público-alvo, etc. Somente depois de uma análise detalhada, o local é escolhido. Essa avaliação é importante para que uma má escolha do ponto comercial não prejudique os resultados do negócio.

Vantagens de possuir uma franquia odontológica

Ter uma franquia odontológica como negócio pode lhe render bons frutos, tanto financeiros, quanto de experiência de como gerir uma empresa. Dentistas aprendem muito pouco sobre gestão na faculdade, o que faz muita falta quando resolvem empreender e serem seus próprios patrões.

Com uma franquia, você terá oportunidade de gerir sua própria empresa com todo o apoio de uma marca consolidada. Abaixo, listamos algumas das principais vantagens de franquia odontológica.

Modelo de negócio padronizado

Como citamos no início desse tópico, as escolas de odontologia não oferecem muitos conteúdos voltados para a área de gestão. E quando um dentista resolve empreender, ele enfrenta diversos desafios, principalmente no que se refere à administração do negócio.

Ao abrir uma franquia, ele vai ter acesso a um modelo de negócio pronto. Então, já terá acesso a um plano de negócios desenvolvido pela franqueadora, a um planejamento financeiro e de marketing. O empreendedor não precisa inventar a roda para começar seu negócio, pois ele investe para ter acesso a todas essas ferramentas de gestão.

Apoio ao franqueado

Outra grande vantagem de investir em uma franquia odontológica é o apoio recebido pelo franqueado. Antes de o negócio começar a funcionar, o empreendedor vai receber os devidos treinamentos para poder gerir sua clínica da melhor forma possível. Porém, não é só isso: seus colaboradores também receberão treinamento

O suporte ao franqueado é garantido pela franqueadora durante toda a vigência do contrato. Há consultores de campo capacitados para orientar o empreendedor sobre qualquer dúvida que ele tenha em relação à administração de seu negócio.

Ademais, caso a franquia não esteja dando os resultados esperados, esses consultores vão trabalhar para identificar possíveis gargalos e ajudar o dentista franqueado a superar os problemas que estão atrapalhando o bom andamento de sua clínica.

O negócio já nasce conhecido e já possui credibilidade

Começar um negócio do zero dá bastante trabalho e construir uma marca consolidada, mais ainda. Investir em uma franquia é iniciar um negócio com um bom nome no mercado, sem esperar tanto tempo. As pessoas não diferenciam o franqueado da franquia, ou seja, não faz diferença em qual unidade elas são atendidas, desde que conheçam a marca.

Se uma empresa já consolidada abre em sua região, as pessoas ficam sabendo muito rápido e, se ela possui credibilidade, você terá mais facilidade para angariar pacientes. Se você já está tentando há algum tempo “tocar” seu consultório, sabe como é difícil ficar conhecido, não é mesmo?

Menos riscos de insucesso no negócio

Como já citamos no início do texto, ao abrir uma franquia você tem acesso a todo o know-how de uma empresa consolidada no mercado. Aquele negócio já foi testado e se a marca está no mercado, é prova de que seu negócio tem sucesso e uma boa aceitação do público.

Por esses motivos, os riscos para empreendedores de primeira viagem — e para mais experientes também — são bem menores do que ao começar um negócio do zero. A mortalidade de empresas que seguem o modelo do franchising são muito menores e isso não é novidade.

Além disso, até mesmo em tempos de recessão, o setor apresenta um crescimento considerável. Em 2015, em plena crise financeira e econômica, franquias voltadas para estética, medicina e odontologia faturaram mais de R$ 2,1 bilhões.

Mais possibilidade de retorno sobre investimento em período menor de tempo

Todo início de negócios é difícil e os lucros não vêm da noite para o dia. É preciso investimento e paciência para que a empresa comece a dar bons frutos. Com uma franquia, o retorno sobre investimento pode vir mais rápido. Geralmente, os empreendedores começam a ter retorno entre 24 e 36 meses após o início das atividades.

Os resultados são frutos de um trabalho árduo e vão depender mais do empenho do gestor do que da franquia em si. Mas, como citamos em um dos tópicos acima: uma marca conhecida facilita a aquisição de pacientes e consequentemente, reduz a jornada de compra do consumidor.

Diminuição de custos para o franqueado

Ao fazer parte de uma rede de clínicas franqueadas, você terá a oportunidade de negociar melhor o valor dos produtos com fornecedores. Como as compras são feitas em larga escala, para todas as unidades, os descontos oferecidos são maiores. Sendo assim, você consegue uma boa economia na compra de materiais, equipamentos e instalações.

Os custos com propaganda são rateados entre os franqueados, o que também diminui consideravelmente os custos com divulgação da marca. Além disso, as propagandas tendem a ser mais eficazes do que caso você investisse sozinho nessa estratégia.

Obrigações e deveres do dono de uma franquia odontológica

Embora ser dono de uma franquia ofereça diversas vantagens, ser um franqueado também implica em responsabilidades. Para ter o direito de usar a marca da franqueadora sem maiores problemas, o empreendedor deve cumprir com suas obrigações, que inclusive são estabelecidas em contrato.

Veja quais serão seus deveres ao fazer parte de uma rede de clínicas odontológicas.

Administrar o negócio e seus recursos focado em resultado

Embora o empreendedor esteja utilizando a marca da franqueadora, a administração do negócio é de sua responsabilidade. Ele é incumbido de zelar pelo bom funcionamento da empresa, fazendo uma boa gestão de recursos, de pessoas e financeiro. O franqueador tem o dever de trabalhar para empresa crescer e trazer lucros.

Cumprir metas

Uma franquia odontológica precisa vender seus serviços e por isso, deve cumprir suas metas mensais de vendas. Essas metas são definidas pela franqueadora para todas as unidades da rede. Embora a marca detentora do nome da franquia ofereça suporte, a responsabilidade com o cumprimento das metas é do franqueado.

Prestar informações para a franqueadora

Informações quanto a alcance de metas e faturamento mensal devem ser repassados para a franqueadora. Isso porque o pagamento das taxas é feito baseado em uma porcentagem sobre o lucro da franquia. Por isso, essas informações devem ser verdadeiras e corretas.

Comprar produtos credenciados pela rede

Quando você entra em um negócio baseado no franchising, os materiais e equipamentos devem ser comprados em uma rede credenciada. Não é permitido ao franqueado procurar outros fornecedores, pois a franqueadora já determinou onde as compras devem ser feitas.

Seguir as regras e padrões estabelecidos pela franqueadora

Uma franquia odontológica possui padrões de atendimento, de divulgação dos serviços, de uso da marca e uma lista de procedimentos que devem ser oferecidos. O franqueado que opta abrir esse tipo de negócio deve respeitar as regras impostas pela marca e trabalhar dentro dos padrões já estabelecidos.

Mesmo que você não concorde com alguma coisa aqui e outra ali, você deve se lembrar que escolheu atuar nesse setor e já sabia como as coisas funcionavam antes de assinar o contrato.

Atuar dentro do território definido

Se a franqueadora definiu que você vai atuar em determinada região, sua clínica não pode se mudar dali simplesmente porque você quer ou encontrou um aluguel mais barato. É obrigação do franqueado atuar no local o qual foi designado.

Pagar as devidas taxas para a franqueadora

Além da taxa de franquia, que é o investimento inicial para a abertura do negócio, ainda há outras cobranças, que são pagas mensalmente. São os royalties, que são cobrados de acordo com o faturamento e valores pagos para a propaganda de toda a rede. Algumas franqueadoras ainda cobram taxas de serviços adicionais.

Como escolher a franquia odontológica adequada ao perfil do dentista

Embora existam diversas opções de franquia odontológica disponíveis, você precisa escolher bem qual a marca irá se associar. Isso porque o investimento para ser um franqueado é muito alto e caso você não escolha uma boa empresa, pode sofrer prejuízos futuros.

Para ajudar você a não errar na sua escolha, separamos algumas dicas para você escolher a melhor opção, de acordo com seu perfil.

Avalie o seu perfil

Avaliar seu próprio perfil e analisar sua afinidade com a franqueadora é o primeiro passo para uma parceria de sucesso. Por isso, você precisa ser sincero consigo mesmo. Pense em quanto será o investimento necessário, se você deve se dedicar integralmente ao negócio, quanto você espera faturar, entre outros fatores importantes.

Logo após essa análise, você deve verificar se suas expectativas estão dentro do que é oferecido pela franqueadora. Ademais, as marcas são voltadas para públicos diferentes e você precisa definir seu público-alvo antes de escolher a franqueadora.

Observe o tamanho da rede escolhida

Depois de avaliar sua capacidade financeira, o empreendedor deve observar o tamanho da rede escolhida para abrir sua franquia. O investimento pode variar desde pouco mais de R$ 170 mil até mais de R$ 500 mil reais.

Esses valores dependem do tamanho da rede e do tempo de mercado de cada franquia. É importante você avaliar esse item para não dar um passo maior do que as pernas e fazer a escolha mais assertiva, de acordo com sua realidade financeira.

Além disso, uma franquia que possui diversas unidades mostra que é um negócio consolidado e confiável, o que traz mais segurança para que você direcione seus investimentos de forma correta.

Visite a sede da franquia e algumas unidades franqueadas

Uma excelente maneira de conhecer a marca franqueadora é entrar em contato com a sede e marcar uma visita. Essa é a oportunidade de você ver de perto como a marca trabalha e analisar se ela atua de acordo com seus valores.

Se essa visita não for suficiente, procure conhecer unidades franqueadas em regiões diferentes. Converse com os empreendedores sobre os pontos fortes e fracos da franqueadora e pergunte a eles sobre seus desafios e recompensas de serem franqueados.

Cada franqueado tem um ponto de vista em relação à empresa e ouvir opiniões diferentes vai abrir sua mente para fazer uma escolha mais assertiva.

Analise cuidadosamente a COF (Circular de Oferta de Franquia)

Nesse documento constam todas as informações a respeito da relação entre franqueadora e franqueado. Ele contém esclarecimentos sobre a descrição do negócio, estimativa de gastos, balanços e demonstrações financeiras da rede, pendências judiciais, obrigações do franqueado e franqueadora, entre outras informações importantes.

Enfim, COF conta toda a história da franqueadora e estudá-la é um passo muito importante para que você conheça bem a marca a qual deseja investir. Se você tiver dificuldades para entender o documento, peça ajuda a seu advogado.

A Circular de Oferta de Franquia deve ser entregue ao franqueado no mínimo 10 dias antes da assinatura do contrato ou de algum pagamento. Aproveite todo esse tempo para tirar todas as dúvidas em relação às cláusulas contidas no documento.

Conheça os serviços oferecidos pela rede

Uma característica importante de uma franquia odontológica é que ela possui um padrão de procedimentos que são ofertados por toda a rede. Isso significa que todos os franqueados devem oferecer uma lista de serviços específicos.

Então, se você atua na maior parte do tempo com implantes e cirurgias, não vai querer uma franquia voltada para a área da odontologia estética somente e vice-versa. Você deve escolher uma marca que ofereça serviços voltados para seu público-alvo, além de serem voltados também para seus interesses e competências.

Como você viu, abrir uma franquia odontológica não é nenhum bicho de sete cabeças, mas também não é tão simples assim. O processo pode ser demorado e você pode ser reprovado, caso não atenda às exigências da franqueadora. Contudo, caso você acredite que tenha mesmo perfil de um franqueado, não hesite em investir no negócio.

Os resultados podem surpreender você e sua clínica pode crescer mais do que o esperado em um período de tempo recorde. Entretanto, como já citamos diversas vezes ao longo do texto, o sucesso do negócio depende de você, pois você vai precisar “suar a camisa”, caso queira ter bons lucros em sua clínica.

A franqueadora não vai vender seus serviços, nem atender seus pacientes e tampouco administrar seu negócio. Essa é sua responsabilidade e se você cumpri-la com amor e dedicação, sua franquia terá tudo para dar certo.

Você está pensando em ter sua própria clínica? O que acha de abrir uma franquia odontológica? Essa pode ser uma excelente opção de negócio para você. Entre em contato conosco e saiba como se tornar um franqueado da Oral Sin Implantes!